10/08/17

VISITAS GUIADAS


Durante o mês de agosto, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá oferecer aos seus visitantes visitas guiadas sem pagamentos extra. 
As visitas decorrerão de terça a sábado às 16h00, com a duração de 60 minutos. Não carecem de marcação prévia e não é necessário número mínimo de participantes.
Tutelado pelo Instituto Missionário da Consolata, este museu reúne uma vasta coleção de elevadíssimo interesse artístico e cultural, promovendo o encontro com a beleza, a arte, a história e a cultura.
Através das suas coleções de Arte Sacra, que espelham os diferentes passos da vida de Cristo, e de Etnologia, que fazem eco dos mais longínquos lugares relacionados com a Missão, o visitante é levado a contemplar as mais surpreendentes peças da cultura artística cristã e a tomar contacto com povos e culturas de todo o mundo. A sua ligação ao espaço onde se implanta aparece especialmente vinculada através do espólio relacionado com os videntes de Fátima apresentado na Sala dos Pastorinhos.

26/05/17

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto em bOOnek


Há quem fale pelos cotovelos. A artista plástica Estela Baptista Costa fala pelos bOOnek.

Papa Francisco, Nossa Senhora de Fátima, São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto, são os novos trabalhos à venda em exclusivo no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia.

​«Os boonek são ilustrações pintadas sobre tecido e convertidas em bonecos. Sendo eu ilustradora para a infância senti sempre necessidade, também como mãe, de fazer chegar às crianças uma imagem mais infantil dos santos.

Os meus filhos pedem-me bonecos dos super-heróis e brincam com eles. Penso que a melhor forma de educar as crianças na Fé e fazê-los perceber quem foram os santos é tornar essas personagens mais palpáveis, mais apelativas para as crianças.

Porque é que os santos não podem ser super-heróis? Foi nesse sentido que fiz estes boonek sobre os santos, para os tornar mais próximos das crianças, para que eles possam querer dormir agarrados a uma Nossa Senhora ou ao Papa, ou aos pastorinhos que são também crianças e que se encaixam neste mundo muito bem, porque são crianças para outras crianças e que, segundo o milagre que os levou à canonização, são crianças que cuidam de outras crianças. É, também, uma forma de evangelizar».

***

Estela Baptista Costa nasceu nas Caldas da Rainha em 1975. Viveu a sua primeira infância no meio das árvores e da terra gravando assim no seu ADN a marca da natureza. Talvez tenha sido aí que tenha nascido o seu amor pelas árvores que tenta imortalizar na sua gravura.

Formou-se em Artes Plásticas na atual ESAD (Escola Superior de Arte e Design) no último ano do segundo milénio. Três anos antes, no mesmo sítio, conheceu Bartolomeu Cid dos Santos com quem descobriu e partilhou os mistérios da Gravura e com quem teve o privilégio de trabalhar em diversas ocasiões. Também em 2000 fez o curso de ilustração infantil na Fundação Calouste Gulbenkian e desde então que se dedica violentamente à gravura a par com a ilustração de livros infantis.

Já trabalhou num Museu, teve um romance de Verão com um pomar de pêra-rocha, trabalhou com crianças, fez artesanato urbano, fez exposições por Portugal, Espanha e França e coordenou a Companhia do Eu (escola de escrita criativa), do poeta e escritor Pedro Sena Lino, onde aprendeu a esculpir palavras.
Desde 2011 que se empenha no curso mais importante da sua vida, o da maternidade.

Sempre que pode volta à aldeia onde cresceu para sentir o cheiro da terra e abraçar as árvores.

20/05/17

Arte Sacra em Fátima - CHÁ COM ARTE


O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima,  e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 30 de maio, terça-feira,  às 21h30, o último “Chá com Arte” da temporada. 

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com o convidado especial Marco Daniel Duarte que abordará o tema “ Arte Sacra em Fátima”.

A próxima temporada arrancará em final de setembro, pretendendo-se discutir várias áreas desde a missão, religião, a arte, etnografia, antropologia, música, entre outros temas.

***
Marco Daniel Duarte é diretor do Serviço de Estudos e Difusão do Santuário de Fátima, onde dirige o Museu da Instituição, e do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima. 

Doutorado em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tem desenvolvido os seus estudos no âmbito do saber da Iconografia e da Iconologia, áreas sobremodo ligadas à arte sacra antiga e contemporânea. 

Pertence à Academia Portuguesa da História, como Académico Correspondente, é Sócio Efetivo da Associação Portuguesa de Historiadores da Arte, Membro da Sociedade Científica da Universidade Católica Portuguesa e Colaborador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra. 


Em 2009 foi nomeado para integrar o Grupo Técnico Coordenador do projeto Rota das Catedrais, cujo protocolo foi celebrado entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa. Autor de vários estudos publicados em revistas científicas e editados em livro, alguns deles premiados, tem também comissariado diversas exposições científicas subordinadas às temáticas da sua especialidade. 

11/05/17

NOITE DOS MUSEUS


No dia 20 de maio, sábado, o CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia irá juntar-se à 13.ª edição europeia da “Noite dos Museus” onde centenas de museus da Europa estarão abertos à noite com várias atividades.

Este museu estará aberto até às 0h00 realizando pelas 21h30 uma “Visita Guiada à Luz da Lanterna com momentos musicais surpresa” a cargo da fadista LUISA VILAS BOAS.
A entrada é livre, mas como número limitado a 30 pessoas, sujeita a marcação prévia através do telefone 249 539 470.


BREVE BIOGRAFIA DE LUÍSA VILAS BOAS
Natural de Barcelos, Luísa Vilas Boas nasceu em 1980 e desde muito cedo começou a revelar o gosto e talento pela arte musical. O fado foi surgindo num ambiente familiar que muito tem incentivado a fadista e a inspira na sua expressão.
A sua primeira participação pública no fado deu-se na V Grande Noite do Fado de Braga, em 2005. Desde então tem percorrido Portugal Continental e Insular, e o estrangeiro em magníficas salas de espetáculo e nas mais caraterísticas casas de fado.
Em 2007 venceu a IV Gala de Fado de Santo Tirso. No I Concurso de Fado da cidade de Vila Nova de Famalicão, em 2011, foi aclamada a grande vencedora, deixando o público ao rubro com as várias interpretações.
No ano seguinte, 2012, editou o seu primeiro álbum, no qual se podem ouvir fados tradicionais mas também alguns originais, como “Para Sempre”, “Maria Tristeza” e “Referência”. Com a frescura de uma voz jovem mas madura, cativa pela espontaneidade e reinterpretações de sucessos antigos. Poetas como Alfredo Marceneiro, Pedro Homem de Mello, David Mourão Ferreira, Maria Teresa Horta, e José Guimarães estão presentes nos temas interpretados.
Custódio Castelo, Samuel Cabral, António Cardoso, Mário Henriques, Miguel Amaral, Manuel Reis e André Teixeira são alguns dos nomes dos músicos e amigos que têm acompanhado Luísa Vilas Boas ao longo da sua carreira.
Professora de profissão, dedica-se ao fado de alma e coração em cada momento da vida.
Se o fado é a mais elevada representação portuguesa, então, diz a fadista: "O Fado voa no meu coração e percorre todo o meu corpo. Cresce como raízes... Explode em cada melodia e eu vivo e torno a viver!"

10/05/17

CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima expõe no CONSOLATA MUSEU!


No âmbito do Centenário das Aparições, estarão expostos, de 13 de maio e 13 de outubro de 2017, no hall da recepção do CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia quatro trabalhos dos utentes do CRIF - Centro de Reabilitação e Integração de Fátima.
O número quatro corresponde ao número de siglas do CRIF e todos os dias 13 de cada mês os trabalhos serão substituídos pelos de outros artistas da mesma instituição. Neste mês de maio é Luís Lasota a ter oportunidade de expor as suas pinturas.
O Centro acolhe cerca de cento e vinte utentes com necessidades especiais, ao nível da deficiência física e mental. Muitas destas crianças têm expressões ao nível artístico que são desenvolvidas e orientadas pelas várias equipas profissionais da instituição.
A visita é livre e pode ser admirada de terça a domingo com o seguinte horário: 10h00-13h00 |14h00-18h00.

29/04/17

"A minha romagem à Fátima | Padre João De Marchi" - Exposição temporária


Abrirá ao público, no dia 5 de maio, no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, a exposição temporária "A minha romagem à Fátima | Padre João De Marchi"

A exposição homenageia este missionário da Consolata italiano que chega a Fátima em 1943, fundando em 1944, na Cova de Iria, o primeiro Seminário de Nossa Senhora de Fátima da Consolata de Portugal.  

Em 1945 publica o livro Era uma Senhora mais Brilhante que o Sol, aquela que é uma das obras de referência sobre Fátima. Um trabalho de trezentas páginas que se transformaria num “best-seller”, traduzido em diversas línguas (italiano, inglês, espanhol, francês, alemão e holandês).

Na primeira edição o autor apresenta um texto intitulado «A minha romagem à Fátima». Chega em junho de 1943 como peregrino, vindo de Lisboa a pé até Leiria onde é recebido pelo bispo da Diocese e de lá parte, já em automóvel, com o motorista do bispo para a Cova de Iria, descrevendo a cidade de Leiria da época, a breve paragem no Mosteiro da Batalha, a passagem pelo Reguengo do Fétal, a chegada ao recinto do Santuário de Fátima, a procissão de velas, a conversa com os peregrinos e doentes, as histórias e lendas da princesa moura Fátima e Gonçalo Hermingues, e finalmente a conversa com o Manuel Pedro Marto, pai de Jacinta e Francisco.

O percurso expositivo segue os subcapítulos designados por De Marchi, procurando conhecer as suas descrições dos lugares, dos peregrinos, das suas pesquisas que mostram a importância do livro como fonte histórica, etnográfica e turística de Fátima, da região, bem como a importância da figura do Padre João De Marchi e dos Missionários da Consolata para a divulgação da Mensagem de Fátima para o Mundo no âmbito do Centenário das Aparições.


A exposição apresenta as primeiras edições do livro Era uma Senhora mais Brilhante que o Sol, fotografias inéditas da Cova de Iria da década de 40 do século XX do arquivo da Revista Fátima Missionária, entre elas, a foto de De Marchi com a Irmã Lúcia  em 1946, aquando da sua vinda a Fátima após deixar as Irmãs Doroteias para entrar no Carmelo de Coimbra, sendo-lhe pedido que corrigisse o livro, tendo efetuado ligeiras correções. Vários objetos e fotografias da Quinta do Campo (Valado de Frades - Nazaré) também se encontram expostos, local onde os Pastorinhos de Fátima estiverem algum tempo junto da família  Yglésias O’Neill e que De Marchi terá visitado no sentido de se inteirar da passagem dos três Pastorinhos pela aquela localidade.  

27/04/17

Trabalhos criativos das crianças sobre as Aparições de 1917


Encontram-se expostos no CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima, junto à “Sala dos Pastorinhos”, onze trabalhos artísticos de crianças que representaram as “Aparições de Fátima”.

Esta iniciativa, para assinalar o Centenário das Aparições, foi promovida pela disciplina de EMRC (Educação Moral e Religiosa Católica) do Agrupamento de Escolas de Ourém e no Agrupamento de Escolas Cónego Dr. Manuel Lopes Perdigão (Caxarias), integrada nas atividades Departamento de Ciências Sociais e Humanas.

Tendo como destinatários os alunos dos 1º e 2º ciclos, estes foram desafiados a representar uma das cinco aparições de Nossa Senhora na Cova da Iria, utilizando materiais recicláveis e materiais recolhidos na natureza, devendo ser construídas em conjunto com os membros da família (irmãos, pais, avós, tios…).

Com este projeto, além de se assinalar o Centenário das Aparições, promoveu-se a defesa do ambiente, em resposta à encíclica “Laudato Si” do Papa Francisco, motivou-se a participação dos Encarregados de Educação na vida escolar e desenvolveu-se a criatividade e espírito de iniciativa. Promoveu-se igualmente o conhecimento de um importante momento da história do concelho de Ourém.


Os trabalhos poderão ser admirados até ao 13 de outubro de 2017, de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

21/04/17

«VIAJAR PELO MUNDO» Chá com Arte




O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 3 de maio, quarta-feira, às 21h30, mais um “Chá com Arte”. Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa com o convidado especial Francisco Moura, diretor do Departamento do Turismo Religioso e Cultural da GeoStar que falará do seu livro «VIAJAR PELO MUNDO».
Francisco Moura nasceu na Guarda e é licenciado em Gestão Turística e Hoteleira.
Em 2005 publicou o livro “Itinerários de Fé” em coautoria com o historiador Paulo Mendes Pinto. Em 2010 foi distinguido com o prémio Presented in Appreciation, pelo Ministério do Turismo de Israel, pelo trabalho desenvolvido durante 35 anos, em prol do turismo daquele país.
Da Europa, palco de grandes civilizações, ao misticismo da Ásia, passando pelo mistério de África, sem esquecer a grandiosidade da América, a maravilhosa Oceânia e o fascínio da Antártida, Viajar pelo Mundo apresenta-se como um compêndio de viagens onde os leitores podem viajar pela história e cultura de 124 países e regiões visitados pelo autor durante a sua carreira profissional.
O livro estende-se por mais de 1300 páginas, preenchidas com 3000 retratos apaixonantes dos continentes e países, onde não faltam 4000 atrações a visitar e relatos de histórias.
FRANCISCO MOURA, natural da cidade da Guarda, nasceu a 26 de Janeiro de 1947. Concluiu o curso de Correio de Turismo da Escola Hoteleira de Lisboa, tem bacharelato em informação turística, licenciatura em Gestão Turística e Hoteleira, frequentou cursos de história e de egiptologia. Durante a sua longa carreira profissional iniciada em 1971, na Agência Internacional Viagens Mélia, exerceu vários cargos diretivos, tenho sido nomeado diretor geral comercial para Portugal em 1982, cargo que exerceu ate 1990, quando, em conjunto com outros companheiros, fundou a Profissional Tours, que no ano 2000 foi integrada na Geotur (mais tarde GeoStar), onde criou e dirigiu o departamento de Turismo Religioso e Cultural, cargo que exercerá até Dezembro de 2016.
Durante os 40 anos de exercício profissional, visitou mais de 120 países e participou em variados congressos, seminários, cursos técnicos e “trade shows”. Publicou vários artigos sobre itinerários turísticos para várias revistas e teve várias presenças em programas televisivos, nomeadamente na R.T.P.2 e na TVI. Entre 1990 e 2003 participou na R.R. no programa Despertar de António Sala e Olga Cardoso, com uma rubrica semanal,“ Ementa Turística”, sobre itinerários internacionais. Em 2005 publicou o livro “Itinerários de Fé “ em coautoria com o historiador Paulo Mendes Pinto.
Em 2010 foi distinguido com o prémio “Presented in Appreciation”, pelo Ministério do Turismo de Israel, pelo seu trabalho em prol do Turismo daquele País ao longo de 35 anos. Presentemente é professor da cadeira História e Turismo, nas Universidades Seniores de S. Domingos de Benfica e das Avenidas Novas, e está a preparar a defesa da dissertação do Mestrado em Ciências das Religiões da Universidade Lusófona.
Sinopse
Trata-se de um Guia de Viagens, que refere os 124 países que visitei não só do ponto de vista profissional, mas também enquanto viajante, ao longo da minha carreira profissional de mais de 40 anos. O Guia tem 1350 páginas , com cerca de 3 000 fotos, (95% da minha autoria), e apresenta -se dividido pelos 6 Continentes, ( inclui a Península da Antártica) onde cada país é apresentado como uma ficha técnica, e com descritivo histórico das localidades e dos monumentos selecionados. O lançamento desta obra coincide com a passagem de testemunho na direção da área de negócios que dirijo, e reflete a minha visão do mundo que vivenciei , tendo em conta conhecimentos adquiridos ao longo da minha vida em estudos universitários, na área da historia, da egiptologia, e das ciências das religiões.

20/04/17

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS - Rota dos Pastorinhos entre Fátima e Ourém


Para assinalar o Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, e tendo por base o tema proposto pelo ICOM (Conselho Internacional de Museus) – “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”, o Museu Municipal de Ourém e o Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia organizam uma programação conjunta intitulada “Rota dos Pastorinhos entre Fátima e Ourém”.

Estes dois espaços museológicos, credenciados pela Rede Portuguesa de Museus, possuem nos discursos expositivos áreas dedicadas aos Pastorinhos de Fátima. 

O Museu Municipal de Ourém – Casa do Administrador, associa-se à história das Aparições por ter acolhido os três videntes, Jacinta, Francisco e Lúcia entre 13 e 15 de agosto de 1917. Essa ocorrência teve como mediador Artur Oliveira Santos, figura da história local que ocupava o cargo de Administrador do Concelho, e por isso interferiu no fenómeno religioso interrogando as crianças e alojando-as em sua casa.

O Consolata Museu apresenta a Sala dos Pastorinhos que expõe a relíquia do Beato Francisco Marto, o seu barrete oferecido aos Missionários da Consolata pelo pai, Manuel Pedro Marto, em 1956 .


Com transporte de autocarro gratuito, número limitado e sujeito a marcação prévia no Museu Municipal de Ourém (Tel: 249 540 900 (6831) | tlm: 919 585 003), o programa consiste em visitas guiadas  a Aljustrel (Casas de Lúcia, Jacinta e Francisco Marto), ao Consolata Museu (Sala dos Pastorinhos e mostra  de trabalhos criativos das crianças sobre as Aparições), antigos Paços do Concelho de Ourém, Casa do Administrador e ao Memorial Jacinta Marto (Jazigo do Barão de Alvaiázere; Projeto do arquiteto Korrodi) no Cemitério Municipal de Ourém. 

05/04/17

À conversa com alunos da Universidade Sénior de Fátima «Fátima. Olhares…»



O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 20 de abril, quinta-feira,  às 21h00, um “Chá com Arte” especial, no âmbito do encerramento da exposição temporária «Fátima. Olhares…».

Após a degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com os alunos da Universidade Sénior de Fátima.

A exposição foi concebida em parceria com a Liga dos Amigos do CONSOLATA MUSEU e a Universidade Sénior de Fátima (Centro de Estudos de Fátima), tendo os alunos sido desafiados a fotografarem espaços-memória de Fátima, Cova de Iria e arredores, peregrinações, serviços e locais que ao longo dos anos se foram transformando.


São testemunhos e memórias de vários momentos da história local e com isso se assinala o Centenário das Aparições de Fátima na perspetiva da comunidade local, de onde muitos são originários ou que por motivos profissionais e pessoais aqui vieram residir. Nas suas pesquisas foram encontradas fotografias inéditas da Cova de Iria, folhetos turísticos, mapas, materiais escolares das Escolas Primárias encerradas, brinquedos e outros objetos de interesse.

30/03/17

“ Influências Lusas na arquitetura de imigrantes portugueses em França” - CHÁ COM ARTE




O CONSOLATA MUSEU | Arte Sacra e Etnologia e a sua Liga de Amigos, realizarão no dia 18 de abril, terça-feira, às 21h00, a bem sucedida atividade “Chá com Arte”. Após a habitual degustação de chá e biscoitos, iniciar-se-á a conversa  com Ana Saraiva que nos irá falar a partir do tema  “ Influências Lusas na arquitetura de imigrantes portugueses em França”.














Sinopse
Num relato ao longo de um século (1900-2015), são descritos três tipos habitacionais da arquitetura popular em Portugal: a “casa do trabalhador rural” (1900­‑1960), ligada à agropecuária; a “casa do emigrante” (1970-2015), ligada à emigração e a mudanças profundas nos campos; e a “casa emblematizada” (1990-2015), ligada à reificação da tradição.
Narrativas e biografias em torno da casa incidem nos campos portugueses, com estudos de caso na Alta Estremadura e em Ourém, e estendem-se à periferia de Paris para mostrar os impactos da emigração em Portugal e em França expressos na arquitetura doméstica.
Estas leituras são feitas a partir de um olhar contemporâneo atento à globalização e ao transnacionalismo e que reflete continuidades e descontinuidades na arquitetura popular e nas trajetórias identitárias dos portugueses no último século.

Nota biográfica:

Antropóloga, mestre em museologia e património, doutorada em antropologia (especialidade de políticas e imagens da cultura e museologia) pela Universidade Nova de Lisboa. Investigadora associada ao CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia) com trabalhos sobre identidade, património e museus. 

23/02/17

«FÁTIMA. Olhares... » - Exposição temporária


Abrirá ao público, com inauguração marcada para o dia 3 de março, às 18h00, a exposição temporária «FÁTIMA. Olhares... ». 

Concebida em parceria com a Liga dos Amigos do  CONSOLATA MUSEU e a Universidade Sénior de Fátima (Centro de Estudos de Fátima), os alunos foram desafiados a fotografar espaços-memória de Fátima, Cova de Iria e arredores, peregrinações, serviços e locais que ao longo dos anos se foram transformando.

São testemunhos e memórias de vários momentos da história local e com isso se assinala o Centenário das Aparições de Fátima na perspetiva da comunidade local, de onde muitos são originários ou que por motivos profissionais e pessoais aqui vieram residir.

Nas suas pesquisas foram encontradas fotografias inéditas da Cova de Iria, folhetos turísticos, mapas, materiais escolares das Escolas Primárias encerradas, brinquedos e outros objetos de interesse.

A exposição pode ser visitada das 10h00 às 17h00 até ao dia 16 abril. Encerra às segundas-feiras.